Política
Publicado em 21/05/2017 às 22h00 | G1 (Foto: Reprodução)
Aliados aguardam decisão do STF para definir saída do governo
Comentários

Depois de uma série de conversas e reuniões reservadas neste fim de semana, integrantes dos partidos da base aliada decidiram aguardar o Supremo Tribunal Federal para definir a saída do governo Temer.
 
A defesa do presidente pediu à Corte para suspender o inquérito aberto para investigá-lo pelos crimes de corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa. O julgamento do pedido está previsto para a próxima quarta (24).
 
Várias reuniões de bancada já foram marcadas para quarta, logo após o STF decidir sobre o tema.
 
Pelo menos três partidos decidiram fechar uma estratégia conjunta: PSDB, DEM e PPS, além da parcela governista do PSB.
 
Com exceção de Roberto Freire, que deixou a pasta da Cultura, os demais ministros dessas legendas devem tomar uma decisão conjunta de deixar o governo. Ao longo desta semana, as bancadas desses partidos devem fazer reuniões para definir o desembarque conjunto do governo.
 
"Vamos aguardar o STF. Mas, independentemente, da decisão do plenário do Supremo, vamos ter que deixar o governo. Numa final de Copa do Mundo, se o capitão do time está mancando, é preciso fazer a substituição", resumiu um cacique aliado.
 
"Estamos solidários, mas há o reconhecimento do agravamento da situação a cada dia. Temos que esperar até o STF. Mas depois, não será mais possível", acrescentou um senador que participou das converas.
 
A avaliação feita neste domingo por esses partidos é que a situação de Temer é extremamente grave e que ele não conseguiu reverter a crise política com o pronunciamento feito no sábado. Aliados avaliam que a tendência do STF e de manter o inquérito contra o presidente peemedebista. E que, depois disso, não será mais possível   a permanência no governo.
 
"Temer ficará aind mais fragilizado depois disso", observou um aliado.
 
Nesses dois dias, Temer tem recebido para conversas reservadas vários caciques de partidos aliados. Ele chegou a cancelar um jantar previsto para este domingo no Alvorada, mas manteve a previsão de receber aliados no palácio no período da noite, segundo a assessoria.
 
"Temer já foi alertado que vai perder o apoio desse grupo de partidos. Apesar da solidariedade recebida, ele tem sido avisado que a situação é extremamente grave. Ele está num processo. Mas até agora a ficha não caiu de que o governo acabou", completou.
 


COMENTÁRIOS
Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Tribunal de Notícia. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Podendo retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.




Copyright © 2013. 2017 - É permitida a reprodução ou utilização do seu conteúdo, desde que citada a fonte.
Total de acessos
1612689